Comissão irá investigar a responsabilidade pelas aplicações na instituição que será liquidada, conforme determinação do Banco Central

A Câmara Municipal de Indaiatuba instaurou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as aplicações financeiras de R$ 53 milhões da Prefeitura de Indaiatuba no Banco BVA. A instituição bancária estava sob intervenção do Banco Central desde outubro de 2012 e no último dia 19 de junho teve a liquidação extrajudicial decretada pelo BC. O escândalo foi tornou-se de conhecimento público após denúncias do líder da oposição, vereador Carlos Alberto Rezende Lopes, o Linho (PT), em outubro de 2012. Linho também é autor da representação ao Ministério Público, cujo teor embasou a abertura do Inquérito Civil que tramita na 5º Promotoria de Justiça da Comarca de Indaiatuba.

Segundo nota do Banco Central do Brasil, informações do interventor revelam que “a situação de insolvência da instituição mantinha-se inalterada e indicavam a impossibilidade de normalização dos negócios da instituição por seus próprios meios”.

Em 16 de abril, requerimento de autoria do vereador Linho já pedia a abertura de uma CPI para apurar as aplicações financeiras.  No entanto, apenas mais 2 vereadores assinaram, sendo que o Regimento da Câmara requer a assinatura de, no mínimo quatro vereadores. Diante da eminência da oposição coletar a 4ª assinatura, devido ao momento político desfavorável, vereadores da situação se anteciparam e pediram a abertura da CPI, através de requerimento encabeçado do Vice Presidente da Câmara.

O único membro da oposição na CPI será o vereador Linho (PT), além de quatro vereadores da situação: Dr. Chiaparine e Dr. Túlio (ambos do PMDB), Dr. Helton (PP), Massao Kanesaki (DEM), além de Bruno Ganem  (PV). Segundo Linho “É a situação mais grave da história da política de Indaiatuba. A serenidade, transparência e determinação de apurar as causas e responsáveis por esse escândalo nortearão a minha atuação nessa CPI.”

Atualmente a Câmara de Indaiatuba tem 12 vereadores, sendo dois de oposição (Linho e Derci de Lima, ambos do PT), um vereador do PV que se declara “nem oposição, nem situação” e outros 9 que representam a base de apoio ao Prefeito Reinaldo Nogueira Lopes Cruz (PMDB).

Fazendo as contas

O gabinete do vereador Linho publicou um estudo que revelando o que poderia ser feito pela Prefeitura com os R$ 53 milhões (http://www.blogdolinho.com.br/entenda-o-escandalo-do-bva-e-o-prejuizo-dessa-aventura-financeira/):

  •  Construção de 1.500 Casas Populares
  • Construção de 41 Postos de Saúde
  • Construção de 2 Hospitais Maternidades
  • Construção de 27 Rodoviárias
  • Construção de 18 Pronto Socorros
  • Construção de 27 Creches
  • Construção de 13 Escolas
  • Aquisição de 1.600 viaturas para Guarda Municipal
  • Construção de 9 UPAs – Unidades de Pronto Atendimento
  • Recapeamento de 2 milhões de m² de ruas e avenidas
  • Distribuição Gratuita de 3,2 bilhões de medicamentos