Discurso do Vereador Linho proferido na tribuna do Plenário Joab José Puccinelli durante a Palavra Livre da 11ª Sessão da Câmara Municipal de Indaiatuba, realizada em 25 de Abril de 2016:

Senhor Presidente; Nobres Vereadores que aqui permanecem; companheiros da Imprensa; as nossas sempre bem vindas e necessárias companheiras do “Voto Consciente” que tem feito um trabalho muito consciente e de conscientização para a sociedade do trabalho dos Vereadores; companheiras sempre presentes aqui na luta do direito para que a mulher prestes a dar à tem de ter o seu acompanhante, a sua doula e também apoiadoras do parto humanizado; as companheiras de Magistério que estiveram aqui e acreditam que a Sessão termina quando se vota um único Projeto, não, agora e somente agora na Palavra-Livre é que nós podemos nos manifestar a respeito das campanhas de vocês, dos pedidos de vocês, não vou fazer isso porque as companheiras não se encontram mais aqui, a faixa com os pedidos já foram embora, não tem mais porque ficar falando aqui nesse momento, mas ficarei sempre ao lado das que lutam pela melhoria nas condições de ensino, pelo salário, pela Meta 17 e tudo mais, e por gentileza insistam e fiquem até o fim da Sessão.
Eu queria abordar alguns assuntos e começo pela “Tribuna de Indaiá”, uma matéria dando conta de que existem alguns casos confirmados em Indaiatuba da gripe H1N1 e, interessante na matéria também, é verificado que até Abril já foram registrados 1012 casos graves no Brasil todo. Infelizmente houve mortes também em número superior ao ano passado.
Agora, é interessante notar que a matéria traz um dado fundamental. Dos 1012 casos, 715, ou seja, muito mais do que a metade, foram verificados em São Paulo, o que significa que até o momento esses casos estão tendo uma repercussão maior aqui no nosso Estado. Seria interessante o Ministério da Saúde e a Secretaria Estadual da Saúde fazerem um levantamento dos locais de incidência e tentar fazer uma análise das causas que fazem o nosso Estado ser o recordista, tendo muito mais de 50% dos casos totais.
Ainda com relação à Imprensa, uma matéria muito educativa e eu diria que até de prestação de serviço público do jornal “Votura News”, da lavra da jornalista Joseane Miranda. Eu sempre fui crítico da parte da imprensa amiga do poder e que por vezes esquece que o jornal é uma prestação de serviço público, mas sei também reconhecer quando a imprensa divulga aquilo que tem que divulgar como prestação de seu serviço público, é o caso dessa matéria do “Votura News” que fala da queda do preço de etanol por conta da nova safra da cana que deve ser bastante grande. E mais do que isso, a matéria explicita de maneira muito clara a diferença encontrada de preço nos diversos postos de combustíveis na cidade, que marca 34 centavos de diferença, entre o posto que pratica o maior e o posto que pratica o menor preço, 34 centavos! Para o preço que gira entre 2,67 e 2,70 34 centavos é uma diferença muito grande. Em apenas 10 litros são R$3,40, em 100 litros, que em se tratando de álcool é muito pouco, dois abastecimentos, são R$ 34,00 de diferença. É uma questão para se refletir.
Por que um posto consegue praticar um preço 34 centavos menor do que o outro? Então fica aqui o meu registro de que é uma matéria importante, é explicativa e é prestadora de serviços.
Também é importante o Editorial da “tribuna de Indaiá” que foca que mais da metade dos links compartilhados em redes sociais não trazem fatos reais. O jornal não diz isso mas nós podemos até alongar, em grande parte são links que trazem matérias completamente falsas e as pessoas ficam compartilhando, principalmente os que estão há pouco tempo nas redes sociais. Ainda hoje eu estava lendo uma matéria sobre uma condenação a um cidadão que postou uma notícia falsa sobre a Senadora Gleise Hoffman do PT, foi condenado em R$ 50.000,00 de indenização. Então é muito importante o Editorial chamando a atenção para isso e dizendo que cabe à Imprensa publicar aquilo que é correto, eu também acho, o Editorial inclusive faz menção à crítica que é feita à Imprensa. Eu inclusive sou um dos críticos, não ao “Tribuna de Indaiá” e nem ao “Votura”, mas à grande mídia principalmente.
A grande mídia é partidária, é parcial, como está elencado no próprio Editorial da “Tribuna”. Então parte da mídia que é parcial não cumpre com suas funções e acaba trazendo notícias que não trazem a realidade, não trazem a verdade. É só pegar os “Erramos”, é só pegar o número das matérias fantasiosas dos últimos tempos envolvendo personagens políticos ou não. Eu cito alguns casos. Houve o caso da divulgação de uma ficha falsa da então “guerrilheira” Dilma Rousseff, divulgada pela Folha que admitiu ser falsa mas não disse porque é que publicou uma coisa falsa. Ou algumas revistas e jornais que publicaram inverdades sobre o ex-Presidente Lula e sobre seu filho e depois tiveram que admitir, e o jornalista quando publicou já deu o fato como verdade, isso sem contar aquele episódio famoso da revista “Veja” do “boimate”, quando publicou uma brincadeira que uma pessoa fez de uma miscigenação entre o boi e o tomate resultando portanto no “boimate”.
O Editoral é então muito preciso, muito enfático e bastante importante e chama a atenção para essa questão.
Também da “tribuna de Indaiá”, do Jornalista Fábio Alexandre na sua coluna “Em pauta”, a repercussão da importância dos Requerimentos. Nós vimos aqui hoje um certo debate sobre os Requerimentos, quantos assuntos vem à baila sobre os Requerimentos, inclusive o mais candente no momento que é a questão do transporte público. Eu quero inclusive dizer que não estive na reunião com representante da empresa porque fiquei sabendo agora da reunião quando ela terminou, outros Vereadores também estavam alegando isso. Não estou aqui culpando ninguém mas não fui avisado com antecedência.
Só que tem uma coisa, eu fui o primeiro a levantar a questão sobre isso em 2009. Protocolei Representação, ela se tornou Ação Civil Pública, não sei em que pé está. Depois disso também continuei levantando questões. O Vereador César que é a maior autoridade com relação à empresa, sabe disso; agora o Vereador Bruno, mais recentemente, cerca de dois anos e o Vereador Gervásio já perceberam; o Líder do senhor Prefeito também criticou a qualidade do transporte, disse que precisa mudança; o Presidente da Câmara um ano atrás chegou a propor que uma nova empresa fosse contratada, o que aliás é ilegal nesse momento. Eu propus que houvesse um entendimento entre Prefeitura e empresa, uma repactuação, isso não foi feito, e agora dois casos eu já confirmei e quero confirmar outros que vão causar uma reviravolta nesse pedido da empresa de prazo. O que não se pode é ferir deliberadamente cláusulas contratuais, mas eu não vou me pronunciar agora, vou terminar o levantamento, mas se isso se confirmar é muito grave e eu trarei aqui.
Para terminar, duas coisas antológicas. Uma do jornal “Votura News” e uma do jornal “Tribuna de Indaiá”. No caso da “Tribuna de Indaiá” na coluna do J. Miranda, ele coloca 50 anos atrás o que é que a “Tribuna” publicou em 24 de Abril de 1966. Publicou o seguinte: Capa: Costa e Silva é indicado. O Diretório da ARENA Paulista indica ao Diretório Nacional o nome do General Arthur da Costa e Silva para a convenção que irá escolher o candidato à Presidência da República para o quadriênio 1967/1970”. Para os jovens que estão aqui, isso aqui era o máximo que se podia publicar. Não tinha eleição direta para Presidente. Aliás, no ano anterior tinha tido eleições diretas para Governador e foram canceladas as eleições diretas dali pra frente. Os jornais só podiam publicar isso aqui. Só tinham dois partidos: a ARENA, Aliança Renovadora Nacional, que era o do Governo da ditadura militar; e o outro que ela permitia com um verniz de oposição chamado MDB, Movimento Democrático Brasileiro. Era tudo tão proibido que os Partidos sequer podiam começar com a palavra Partido.
Que fique claro aqui para aqueles que saíram às ruas inclusive semana passada defendendo volta de ditadura militar, é um pessoal completamente inconsequente. Estou aqui retratando só para exemplificar, o jornal “Tribuna de Indaiá” tinha que publicar dessa forma, de outra forma a censura caía em cima.
E para terminar, é uma pena que o Vereador Bruno não esteja aqui. Na coluna assinada pelo jornalista Evandro Magnusson Filho, na coluna “Pinga Fogo” do jornal “Votura News”, uma coisa bastante interessante, “Parceiro”. Diz aqui, e traz uma foto em preto e branco, no melhor estilo da época, traz aqui uma nota dizendo que o atual superintendente do SAAE, por quem eu tenho um profundo respeito, e que obviamente será candidato a Prefeito pela situação, ele foi candidato a Vereador em 1996, e obteve gloriosos 386 votos, não foi o suficiente para ser eleito. Até aí tudo bem. O detalhe curioso era o Partido, era o Partido Verde, o mesmo do Vereador Bruno Ganem que também postula a candidatura à Prefeitura. Agora será bonito: o ex-Verde contra um Verde atual, quem será o mais verde de todos?