Discurso do Vereador Linho proferido na tribuna do Plenário Joab José Puccinelli durante a Palavra Livre da 24ª Sessão da Câmara Municipal de Indaiatuba, realizada em 5 de Setembro de 2016:

Senhor Presidente em exercício, Vereador César Oliveira, gostaria de cumprimenta-lo porque não é todo dia que o Vossa Excelência assume a cadeira da Presidência, é sempre uma honra para qualquer Parlamentar e Vossa Excelência exerce esse direito e esse dever, prometo que cumprirei com o tempo regimental.
Eu queria abordar aqui alguns assuntos que foram notícia na imprensa local, mas antes disso eu quero também fazer o lamento por mais uma vez o Projeto da Tribuna Livre ser rejeitado pela Casa. Eu tenho feito pronunciamentos aqui e sempre citado a presença das sempre necessárias componentes do Movimento Voto Consciente, hoje aqui presentes Lourdes e Ana Maria, e por que é que eu cito o Movimento Voto Consciente? Porque eu tenho dito já há vários anos que se trata de uma organização que tem desempenhado um papel que não merece uma crítica sequer.
É muito raro encontrar pessoas que trabalham desse jeito, e o trabalho desse pessoal aqui em Indaiatuba pelo menos eu posso afiançar é completamente apartidário. Não que as suas componentes não tenham as suas preferências partidárias, mas o trabalho delas é tão consistente que elas afastam qualquer possibilidade de partidarismo. E invariavelmente na conclusão e divulgação dos trabalhos, esse ano até foi antecipado em razão das eleições, sempre há a menção sobre o Projeto Tribuna Livre.
Esse Projeto já não é mais meu, esse Projeto é da sociedade, e como eu disse, não há como prever quem estará aqui no ano que vem, mas eu tenho certeza que se um dos doze Vereadores que forem eleitos para a próxima Legislatura tiver um contato mínimo com o povo o irá propor, mesmo que eu não esteja. Ou podemos até pensar numa outra forma, mais significativa ainda, e que não está descartada, de que ele se torne um Projeto de Iniciativa Popular com a coleta de assinaturas de 5% do total de eleitores de Indaiatuba para que aí a Câmara se sensibilize e perceba que não é um Projeto do Vereador Linho, é um Projeto da sociedade.
Eu não vou tecer críticas nominais aos Vereadores que votaram contra, quero agradecer mais uma vez ao Vereador Derci de Lima, ao Vereador Gervásio Silva e ao Vereador Bruno Ganem que tem votado favoravelmente a esse Projeto. E espero que um dia a compreensão aqui na Casa alcance um patamar maior e que as vaidades pessoais sejam deixadas de lado e que a gente se volte realmente para os anseios da sociedade. Nós estamos em um tempo em que todos precisam falar, um tempo em que todos precisam exprimir as suas convicções, as suas crenças, e nada melhor do que esse Projeto, e no entanto a Casa vai exatamente no sentido oposto àquilo que é anseio da sociedade.
Mas o meu lamento é porque deixamos de criar mais um canal de comunicação com a sociedade, e depois, quando a sociedade cobrar essas posições, que não se diga que essa sociedade não entende de política, entende sim. Fica aqui o meu lamento, mas fica também o registro de que nos oito anos eu tentei. Como eu disse, em um dos anos, se eu não me engano em 2010, sequer veio a voto o Projeto, nas próprias Comissões, acreditem, dizia assim: “o Projeto já foi suficientemente debatido ano passado e rejeitado, portanto, ao arquivo”. Eu nunca vi, mas está aqui. Eu ainda vou escrever um livro sobre uma série de acontecimentos do tempo todo que eu estou por aqui, e isso com certeza esse fato ganhará destaque. Mas vamos levantar a cabeça. Sempre haverá quem queira ver a sociedade sendo representada aqui na Casa.
Do jornal Votura News e do jornal Tribuna de Indaiá, constam matérias sobre o aumento da população da cidade, no caso do Votura a matéria é da lavra da jornalista Joseane Miranda e a informação é de que Indaiatuba passa a ter 235.000 habitantes, e o crescimento foi de 1,87%. Isso significa que desacelerou o percentual de crescimento município em relação aos anos anteriores, e isso já vinha sendo percebido. Aquele “boom” populacional veio perdendo força. Indaiatuba vinha com índices de crescimento muito acima da média do país, muito acima da média do estado e acima da média das cidades da RMC. E isso se por um lado significa que se por um lado a cidade atrai moradores, ela representa uma alternativa boa para muitas pessoas, por outro lado é preocupante porque os serviços públicos não conseguem crescer com a mesma velocidade que o crescimento populacional, e aí nós passamos a ter seríssimos problemas para a execução dos serviços públicos.
Hoje é unanimidade, não só aqui na Câmara mas na cidade toda, que é completamente insuficiente o serviço de cata-bagulho, as nossas esquinas estão cada vez mais sujas e atulhadas de produtos inservíveis que são largados ali pela população. Agora, se por um lado é digno de repúdio o ato de pessoas sem cidadania que jogam esses materiais numa esquina, também é digno de repúdio esse setor do serviço público que deveria colocar mais equipes. Tem esse outro lado da questão.
E vou mais além, porque já faz uma ligação com outra matéria também do Votura News, que fala na demora na troca de substituição de lâmpadas, e é uma coisa que ocorre em todos os pontos da cidade. O fato é que desde que a Prefeitura assumiu esse serviço de manutenção da iluminação pública, ela não dá conta. E isso sem contar os novos loteamentos que surgiram e estão surgindo. Imaginem a partir do momento em que esses novos loteamentos já existirem e a partir daí a vida útil das lâmpadas desses loteamentos também já serão atingidas, e aí começa a queimar, as quebras e outros fatos mais.
Então o crescimento da população também tem o seu lado negativo, porque acaba diminuindo a qualidade de vida. Isso sem contarmos a questão de vagas nas creches, de vagas nas escolas, os problemas envolvendo menores se avolumando e os delitos se avolumando. E a situação só não é pior no quesito de atendimento a esse público adolescente e infantil porque uma boa parte dessa população que migra para Indaiatuba vem para cá ou sem filhos ou com filhos já fora da idade escolar, porque senão a situação seria muito pior.
Por parte da Tribuna de Indaiá, da lavra da jornalista Adriana Lourencini, uma matéria também de um assunto muito importante e que muitas vezes também passa desapercebido, é sobre o “Setembro Amarelo”, que cuida da vida evidentemente, e que combate o suicídio. O suicídio é a segunda causa de morte, se eu não me engano o Brasil ocupa a sexta posição no mundo.
Eu tenho contato com um Padre, amigo meu, Padre Edmundo, ele é da Bahia mas está designado para atender aqui na Diocese de Campinas, atende aqui em Indaiatuba e em Campinas porque ele é psicólogo e atende aos próprios Padres e à população também, um serviço muito importante. Ele é um estudioso da questão dos suicídios, e quando ele tomou conhecimento do número de suicídios em Indaiatuba ele ficou alarmado e me pediu alguns dados, que eu forneci para ele e ele ficou muito espantado. Então é uma questão que deveria receber uma atenção maior da Secretaria da Saúde, porque o suicídio não é um caso de Polícia, como muita gente pensa, é uma morte violenta mas é a auto eliminação da vida, e a auto eliminação da vida, via de regra, não usa nem arma de fogo e nem arma branca, geralmente o suicida se enforca ou toma alguma substância química nociva, então eu acho que é algo que deveria ser parte de estudos de setores da psicologia e da psiquiatria dentro da Secretaria Municipal da Saúde, Secretaria que é um dos calcanhares de Aquiles dessa Administração. Junte-se a isso o transporte e nós teremos os dois setores extremamente procurados pela sociedade e nos quais a própria Administração reconhece que tem falhas, é só pegar aí e verificar o que a Imprensa vem divulgando. Então é muito preocupante, e daí a importância dessa matéria da Tribuna de Indaiá.
Quero também fazer o registro de que fiquei muito satisfeito com o layout do Blog da Patrícia Lisboa e também do Leitor Online. É um Blog que vem crescendo na prestação dos serviços. Nós aqui em Indaiatuba também caminhamos para um crescimento das mídias virtuais, não me contrapondo às mídias impressas, mas me parece que não só aqui mas no mundo todo, Indaiatuba não é exceção, as mídias impressas estão com os seus dias contados, as mídias virtuais hoje atropelam tudo e nesse ponto a jornalista Patrícia Lisboa já começa a criar as bases dessa mídia virtual aqui, que sem dúvida nenhuma tende a crescer bastante.
Eu queria encerrar, nobre Vereador César, fazendo um alerta. Eu andei conversando com várias pessoas sobre o que vem acontecendo aqui em Indaiatuba no período eleitoral, não tem nada a ver com o Executivo, nem nada disso daí, nem o atual é o atual Prefeito, nem com o Prefeito que está em férias, não tem nada a ver com eles, tem a ver com a campanha eleitoral. Eu acompanho pessoalmente a política em Indaiatuba há 44 anos, e sou um estudioso da política em Indaiatuba dos últimos 60 anos, essa campanha está contaminada, esta campanha está judicializada, é preciso dar um basta, eu nunca vi isso.
Indaiatuba sempre, Vereador César, e Vossa Excelência viu isso, porque foi gerente de serviços da empresa prestadora de serviços de transporte coletivo, bem melhores do que os prestados hoje em dia, nós tivemos “n” campanhas aqui, eu participo das campanhas como candidato desde 1988, em 1992 também participei, isso as campanhas locais, e sempre teve uma briga ou outra, uma pequena denúncia no Ministério Público Eleitoral, ou uma denúncia sobre material, mas com poucas consequências, quando muito uma multa que não é pouca, mas que pode ser recorrida no fim e chegava-se a um acordo ou pagava a multa. Agora não, a campanha está judicializada, tem dois setores aí que precisam fazer campanha realmente, a sociedade não quer saber de escândalo mais, a sociedade quer saber das propostas, a sociedade quer saber das propostas de continuidade, a sociedade quer saber das propostas de ruptura com o que tem hoje e outras propostas. Não estou aqui fazendo propaganda de A nem B, mas se tem uma candidatura de Oposição aqui em Indaiatuba é a do Partido dos Trabalhadores, aliás eu queria me dirigir ao pessoal da Imprensa aí para dizer o seguinte: eu tenho visto nas redes sociais uma confusão tremenda sobre situação e Oposição. Quem faz Oposição em Indaiatuba é o Partido dos Trabalhadores, não tem outro. Nem no Legislativo e nem no Executivo. Mas a judicialização da campanha é lamentável, então fica aqui o nosso pedido e nosso registro de que se voltem única e exclusivamente para as propostas a serem apresentadas para a sociedade.